Nos últimos dois anos o Projeto Cinema Paraibano: memória e preservação, patrocinado pelo Programa Petrobras Cultural e pela Funape, em parceria com o Laboratório de Antropologia Visual – Arandu e o Núcleo de Documentação Cinematográfica – NUDOC catalogou e digitalizou 88 filmes realizados em Super-8 e 4 títulos realizados em 16 mm. Deste acervo, foram selecionados 25 filmes que serão exibidos entre os dias 11 e 14 de novembro de 2013, em João Pessoa.

A Mostra Cinema e Memória reúne 25 títulos, nos gêneros documentário, ficção, animação e registro visual, que procuram representar o acervo de registros cinematográficos realizados em Super 8, na Paraíba, entre as décadas de 1970 e 1980.  E apresenta a diversidade temática que é característica do acervo, o qual discute questões como sexualidade e homofobia, arte e cultura popular, política e trabalho, questões agrárias, meio ambiente e religiosidade.

Durante a realização da Mostra Cinema e Memória, no dia 13 de novembro, será realizada a Mesa Redonda O super-8 e o cinema direto na Paraíba nos anos 1970 e 1980, que contará com a presença de realizadores que pertencem a esta geração e que são hoje cineastas da cidade, professores da UFPB da área de cinema e antropologia visual, e com o pesquisador e professor da USP, Rubens Machado, quem nos apresenta um panorama nacional sobre as tendências estéticas do cinema experimental e da produção superoitista no Brasil, nestas duas décadas em que vivemos os dias de chumbo da ditadura e o início da abertura política.

Vale, portanto, conferir a vitalidade com que o este período foi vivenciado na Paraíba, como muito acertadamente definiu Rubens Machado:

“A espécie de amadurecimento estético que se processa implicando com o uso dessa arte da precariedade técnica. O convívio das imagens tremidas, montadas de modo inusual, não raro ingênuo, cada vez mais riscadas pelo projetor, desde as primeiras projeções, não impede que possa dar resultados estéticos de interesse, de riqueza, questionadores e de uma interrogação forte”.

 

LOCAL: Cine Aruanda, no Centro de Comunicação, Turismo e Artes – CCTA

Universidade Federal da Paraíba – UFPB, Campus de João Pessoa – PB

11 a 14 de novembro –  18h30

Dia 11

OLHARES
HETERODOXOS:
SEXUALIDADE,
HOMOAFETIVIDADE E ARTE

Closes
(Pedro Nunes, 1982, 32 min.)
Miserere Nobis
(Lauro Nascimento, 1982, 23 min.)
Baltazar da Lomba
(Direção coletiva, 1982, 18 min.)
Era Vermelho o seu Batom
(Henrique Magalhães, 1983, 10 min.)
Perequeté
(Bertrand Lira, 1981, 21 min.)
Tá na rua
(Henrique Magalhães, 1981, 15 min.)
Maria
(Henrique Magalhães, 1981, 01 min.)
Bonecos de Florismar
(João de Lima e Cristina Moraes, 1984, 05 min)

Dia 12

VISÕES DA
PARAÍBA:
POLÍTICA,
E TRABALHO

Televisões
(Elisa Cabral, 1986, 22 min.)
Gadanho
(João de Lima e Pedro Nunes, 1979, 21 min.)
Celso Pós Milagre
(Vânia Perazzo, 1982, 18 min.)
Abril
(Marcus Vilar, 1984, 20 min.)
Seca
(Torquato Joel, 1981, 16 min.)
Visões do Mangue
(Elisa Cabral, 1982, 14 min.)
É Romão pra qui é Romão pra colá
(Elisa Cabral, 1982, 14 min.)
As Cegas
(Maria Antônia, 1982, 10 min.)

Dia 13

MARGARIDA
SEMPRE
VIVA

MESA REDONDA
O Super8 e o Cinema
Direto na Paraíba nos
anos 1970 e 1980
Coordenadores: Fernando Trevas (UFPB); Lara Amorim (UFPB)
Convidados: Rubens Machado (USP); Bertrand Lira (UFPB); João de Lima (UFPB) e Pedro Nunes (UFPB).
Margarida Sempre Viva
(Cláudio Barroso, 1983, 41 min.)

Dia 14

DIVERSIDADE
TEMÁTICA
EM CENA

Nós os agricultores de Camucim
(Dir. não identificado, 1982, 26 min.)
Esperando João
(Jomard Muniz de Britto, 1981, 28 min.)
O Menor
(João Gauvíncio, 1983, 10 min.)
Caça a Baleia
(Moacyr Madruga, 1979, 19 min.)
Festa de Oxum
(Everaldo Vasconcelos, 1982, 12 min.)
Sobre as Rendas
(Elisa Cabral, 1981, 06 min.)
Misticismo Folguedos e Tradição
(Alex Santos, 1980, 10 min.)
Cavalo Marinho do Mestre Gasosa
(Dir. não identificado,10 min.)

Patrocínio e apoio